Portal > História > Acontecimentos do ano 1968                        


Acontecimentos do ano 1968


 1968

29 de fevereiro

Lazer em 1968

A 29 de fevereiro de 1968, a RTP, único canal de televisão disponível em Portugal1 apresenta, depois do telejornal e do Boletim Meteorológico, um episódio da série Dr. Kildare. Em Lisboa, o cinema Império passa Kwaidan, de Kokbayashi, filme japonês a que fora atribuído o Prémio Especial do Festival de Cannes, e no São Jorge estreia Viver por Viver, de Claude Lelouch, Grande Prémio do Cinema Francês e Globo de Ouro da Associação de Imprensa de Hollywood. Para o dia seguinte, estava prevista a estreia, no Teatro Capitólio, da comédia de Roussini, A Locomotiva, com Amélia Rey Colaço, Costinha, Pedro Lemos, Hermínia Tojal, Ana de Sá e Filipe de la Féria.

Fonte: A Capital nº 8, de 29-02-1968, Ano I, 2ª Série

1 A RTP 2 iniciaria a sua programação apenas a 25 de dezembro.

9 de março

Pedia esmola e deixou bens avaliados em 100 contos…

A Capital de 9 de março de 1968, noticia que «faleceu no hospital de Arganil a Sra. Laurinda do Nascimento Madeira, de 73 anos, solteira, que vivia sozinha, na Rua José de Melo F. Bulhões. Era mais conhecida pela Laurinda da Padeira por ser filha de Maria Padeira. Figura de certo modo popular e muito estimada, vivia de esmolas. Há 3 dias adoeceu gravemente e deu entrada no Hospital da Santa Casa da Misericórdia, onde os médicos não conseguiram, porém, salvá-la. Qual não foi, todavia, a surpresa da direção do hospital quando teve conhecimento de que a mulher havia legado cerca de 100 contos de bens ao mesmo hospital. Pedia esmola para deixar um legado aos desprotegidos da sorte».

In A Capital nº 17, de 09-03-1968, 1º ano de publicação, 2ª Série, p. 9

Os 100 contos legados por esta senhora correspondem atualmente a cerca de 500 euros. Na altura, porém, tinham um apreciável valor, já que com essa importância se poderiam comprar, por exemplo, duas viaturas ligeiras ou uma ambulância para o Hospital, pelo que é de louvar esta doação.