Início Efemérides

EFEMÉRIDES

Aconteceu a 1 de março de 1432



Nascimento de Isabel de Avis, Rainha de Portugal

A 1 de março de 1432, ocorre o nascimento de D. Isabel de Avis, também conhecida por D. Isabel de Portugal, D. Isabel de Lencastre, e D. Isabel de Coimbra.

Era filha do Infante D. Pedro e neta de D. João I de Portugal e de sua esposa D. Filipa de Lencastre. A sua mãe era D. Isabel de Urgel, filha do conde Jaime II de Urgel, que foi Vice-rei da Catalunha entre 1407 e 1410.

A maioria dos casamentos reais realizados ao longo dos séculos, foi organizada, à revelia dos nubentes, por conselheiros das cortes reinantes, tendo em vista a consolidação de alianças ou uma eventual unificação territorial.

O casamento de D. Isabel com o futuro rei de Portugal D. Afonso V é um dos poucos casos em que o matrimónio foi antecipado de uma história de amor. Quando D. Pedro, tio do futuro rei D. Afonso V, foi designado regente do reino de Portugal devido à menoridade do príncipe herdeiro, levou para a Corte a sua filha D. Isabel. Entre esta e D. Afonso V surge uma intensa amizade que, aos poucos, se vai transformando em amor, acabando os primos por se casar a 6 de maio de 1448.

A 20 de maio de 1449, tropas fiéis a D. Pedro, pai de D. Isabel de Avis, confrontam-se, na Batalha de Alfarrobeira, com o exército de D. Afonso V.

Veja as causas que levaram a esta batalha, lendo o artigo sobre D. Afonso V.

D. Pedro perde a vida neste confronto e, por ordem de D. Afonso V, são retirados todos os privilégios e terras que os irmãos de D. Isabel de Avis possuíam, tendo, inclusivamente um deles, D. Jaime, na altura com 15 anos, sido preso.

Os irmãos de D. Isabel eram:

A morte do pai de D. Isabel e o destino dado aos irmãos desta, causa espanto e muita consternação nas outras cortes europeias.

D. Isabel de Portugal, Duquesa da Borgonha, esposa de Filipe o Bom e tia paterna de D. Isabel de Avis, condoída com a sorte dos filhos do seu irmão D. Pedro, consegue, por intermédio de um embaixador, levar os seus sobrinhos D. Jaime, D. João e D. Beatriz para a sua corte.

Antes de D. Isabel de Aviz morrer, a 2 de dezembro de 1455, com apenas 23 anos de idade, consegue obter do seu marido o arrependimento por todos os males que este havia causado ao seu pai e irmãos.

Está sepultada na Capela do Fundador do Mosteiro da Batalha, panteão da Dinastia de Avis.

Teve três filhos com D. Afonso V:

D. Filipa, irmã de D. Isabel de Avis, fica a tomar conta dos filhos da falecida rainha, tratando-os com todo o esmero.

* * *

A imagem que acompanha este artigo foi por nós composta tomando por base uma parcela dos Painéis de São Vicente de Nuno Gonçalves, sobre a qual inserimos a Cruz de Avis, que deu nome à segunda dinasta portuguesa.

Ordem Militar de São Bento de Avis

Quando D. João I subiu ao trono, já era mestre da Ordem Militar de São Bento de Avis.

Através da bula Praeclara Clarissimi emitida pelo Papa Júlio III a 30 de novembro de 1551, esta ordem passa a ficar indissociável da Coroa portuguesa.

Extinta em 1910, volta a ser restabelecida em 1917, passando a ser outorgada pelo Presidente da República Portuguesa sob a designação de “Ordem Militar de Avis”, premiando «altos serviços militares».

Leia também

D. João I, «Rei de Portugal e do Algarve e Senhor de Ceuta»

D. Filipa de Lencastre, esposa de D. João I e mãe da Ínclita Geração

D. Afonso V, Rei de Portugal e Algarves

D. Isabel de Portugal, Duquesa da Borgonha




TOPO