Início Busca Magazine Efemérides

MAGAZINE
efemérides

Aconteceu a 12 de abril de 1961



Yuri Gagarin: primeiro ser humano a orbitar a Terra

LER E ESCREVER COMENTÁRIOS

A 12 de abril de 1961, o cosmonauta soviético Yuri Gagarine é o primeiro ser humano a orbitar a Terra, a bordo de uma nave Vostok.

Transcrevemos o comunicado emitido nesse dia pela TASS, Agência de Notícias Russa:

«Em 12 de abril, foi colocado, numa órbita em volta da Terra, o primeiro navio-cósmico-sputnik Vostok [Oriente] – com um homem a bordo.

O piloto cosmonauta da nave cósmica é um cidadão da U.R.S.S., o piloto major Gagarine Iuri Alexeievitch.

A partida do foguetão cósmico com vários pisos decorreu normalmente, e, depois do desenvolvimento da primeira velocidade cósmica e da separação do último piso do foguetão-mãe, o navio-cósmico-sputnik começou o seu voo livre em órbita em redor da Terra.

De acordo com dados preliminares, o período de rotação do sputnik “Oriente” em volta da Terra é de 89,1 minutos. O afastamento mínimo da superfície da Terra (perigeu) é de 175 Kms e o afastamento máximo (apogeu) de 302 Kms. O ângulo de inclinação no plano do equador é de 65 graus e 4 minutos.

O peso do sputnik “Oriente”, com o piloto, é de 4725 quilos, sem o último piso do foguetão-mãe.

Estabeleceu-se uma ligação rádio nos dois sentidos, mantendo-se esta ligação com o cosmonauta Gagarine. As frequências dos emissores de ondas curtas são 9,019 megaciclos e de 20,006 megaciclos, e na banda das ondas ultracurtas, 143,625 megaciclos.

A observação do estado físico do cosmonauta fez-se com a ajuda do sistema radiotelemétrico e do sistema de televisão.

O piloto Gagarine suportou, satisfatoriamente, o período de passagem do sputnik “Oriente” sobre a órbita e, atualmente, sente-se bem. Os sistemas que garantem as condições necessárias vitais na cabine do sputnik “Oriente” funcionam normalmente.

O voo da nave sputnik “Oriente” com o piloto cosmonauta Gagarine prossegue na órbita».

Fonte: Diário de Lisboa n.º 13768, de 12-04-1961, 41.º ano de publicação, pp. 1 e 11




TOPO