Início Efemérides

EFEMÉRIDES

Aconteceu a 25 de outubro de 1495



Morte D. João II, Rei de Portugal e dos Algarves

A 25 de outubro de 1495, morre, em Alvor, o monarca português D. João II.

Havia nascido no Paço das Alcáçovas, situado no castelo de São Jorge, em Lisboa, a 3 de maio de 1455.

Era o filho mais novo de D. Afonso V e de sua primeira esposa, D. Isabel de Coimbra.

A 18 de janeiro de 1471, casa-se com D. Leonor de Avis, sua prima direita, filha do infante D. Fernando. Na altura, ele tinha 15 anos e ela 12. Desta união, nasceria o seu único filho legítimo: o infante Afonso.

A 21 de agosto desse mesmo ano, participa, com o pai, na conquista de Arzila, praça situada no norte de África, sendo armado cavaleiro no local.

A partir de 1474, passa a dirigir a política de exploração do oceano Atlântico.

Ascende ao trono de Portugal e dos Algarves a 29 de agosto de 1481, mas já havia exercido interinamente essa função durante um breve período, após abdicação do seu pai, em 1477.

Centralizou o poder régio, eliminando todos os seus opositores, incluindo membros da própria família, como o duque de Bragança e o duque de Viseu.

Saneou as finanças do Reino, tomando por divisa a expressão pola ley e pola grey, arcaísmo que poderíamos verter em português moderno por pela lei e pelo povo.

Tomou a seu cargo a exploração comercial da costa da Mina, no Golfo da Guiné, mandando construir uma feitoria que serviu de entreposto para o envio do ouro da região para Portugal.

Para defesa deste entreposto, determinou que fosse construído o Castelo de São Jorge da Mina. Refira-se, a título de curiosidade, que essa edificação, assim como muitas outras que se seguiram, foram previamente esculpidas em Portugal. As pedras, depois de numeradas, eram enviadas nos navios como lastro, sendo montadas no local de destino.

Tendo como prioridade a busca do caminho marítimo para a Índia, D. João II continua a exploração atlântica que fora iniciada pelo seu tio-avô, o Infante D. Henrique;

Com a morte de D. João II, a figura deste rei passa a ser enaltecida, ganhando o cognome de O Príncipe Perfeito, graças ao valor da obra por si realizada.

Foi sepultado numa Capela lateral do Mosteiro da Batalha, uma vez que o panteão que lhe estava destinado naquele templo ainda não tinha sido concluído. Por volta de 1901, as suas ossadas foram colocadas na Capela do Fundador, onde ainda hoje se encontram depositadas.

Leia também

D. Afonso V, Rei de Portugal

D. Isabel de Avis, esposa de Afonso V

Assinatura do Tratado de Tordesilhas

D. Manuel I, Rei de Portugal

OUTROS ARTIGOS SOBRE HISTÓRIA

Estamos a reunir diariamente, num único local, os artigos sobre História que têm vindo a ser publicados, com regularidade, no âmbito das Efemérides. Esta tarefa estará concluída a 31 de dezembro de 2022.




TOPO