Magazine Efemérides

MAGAZINE

Efemérides do dia 30 de outubro



Nascimento de Paul Valéry
Faleceu a 20 de julho de 1945

A 30 de outubro de 1871, nasce, em Sète, comuna francesa do departamento de Hérault, Ambroise-Paul-Toussaint-Jules Valéry, filósofo, escritor e poeta da escola simbolista, muito influenciado por Stéphane Mallarmé.

Fonte: Diário de Notícias n.º 28533, de 21-07-1945, p. 1

É lançado â água o navio Albert Leo Schlageter, futuro Sagres III da Marinha Portuguesa

Construído nos estaleiros da Blohm & Voss, em Hamburgo, é lançado à água, a 30 de outubro de 1937, o navio-escola da Marinha Alemã Albert Leo Schlageter.

No final da II Guerra Mundial, foi capturado pelas forças dos Estados Unidos, sendo vendido à Marinha do Brasil que lhe atribuiu o nome de Guanabara.

Em 1961, o Brasil vende o Guanabara Portugal por já possuir um navio veleiro idêntico: o Cisne Branco.

A 8 de fevereiro de 1962, este veleiro passa a desempenhar as funções de navio-escola da Marinha Portuguesa, sendo rebatizado Sagres III.

Anteriormente, já tinham existido na marinha portuguesa dois navios desempenhando funções idênticas, o Sagres e o Sagres II.

Ao serviço da marinha portuguesa já deu três voltas ao mundo, a primeira em 1978/1979, a segunda em 1983/1984 e a terceira em 2010.

Morte de Claude Lévi-Strauss
Nasceu a 28 de novembro de 1908

A 30 de outubro de 2009, morre, em Paris, Claude Lévi-Strauss, antropólogo, professor e filósofo belga.

Considerado o fundador da antropologia, rompe com ideias há muito enraizadas da superioridade de determinado grupo humano em relação a outro. Não concordava com a divisão instituída entre civilizados e selvagens ou com ideias de superioridade étnica. Nos anos 50, antecipou, ainda, uma década o pensamento ambientalista.

Foi professor de Sociologia na Universidade de São Paulo, tendo estudado os índios do Brasil Central no seu próprio habitat, apresentando-os com uma perspetiva cultural bem diferente da vigente na época que os via apenas como meros selvagens.

De 1959 a 1982, ocupou no Collège de France a cátedra de antropologia social e foi membro da Academia Francesa.

Aprofundou em As Mitológicas o estudo dos mitos e a sua obra Tristes Trópicos, publicada em 1955, é apreciada por um vasto público.