Início Busca Magazine Efemérides

MAGAZINE
efemérides

Aconteceu a 8 de novembro de 1968



Cardeal Cerejeira determina o afastamento de Felicidade Alves das funçóes de páraco de Santa Maria de Belém

A 8 de Novembro de 1968, a comunicação social divulga o afastamento, decidido pelo Cardeal Cerejeira, do padre Felicidade Alves das suas funções de pároco de Santa Maria de Belém e de S. Francisco Xavier, em muito devido à sua exposição "Perspetivas atuais de transformação nas estruturas da Igreja".

José da Felicidade Alves nasceu em 11 de Março de 1925 em Vale da Quinta, freguesia de Salir de Matos, Caldas da Rainha.

Em 1948, foi ordenado sacerdote, sendo colocado como professor no Seminário de Almada, e depois no dos Olivais.

Em 1956, foi nomeado pároco de Santa Maria de Belém, em Lisboa, onde se evidenciou pelo conteúdo das suas homilias, nas quais abordava temas incómodos ao poder político e ao eclesiástico como a guerra colonial, a perseguição política, ou os problemas sociais.

Solidário com o grupo de católicos mais progressistas, o percurso de Felicidade Alves ficou definitivamente marcado após a comunicação que proferiu ao Conselho Paroquial de Belém, em 19 de Abril de 1968, na presença de várias dezenas de pessoas. Sob o tema "Perspetivas atuais de transformação nas estruturas da Igreja", a comunicação de Felicidade Alves punha em causa a forma como a Igreja se apresentava à sociedade, a sua organização, e mesmo a maneira como eram transmitidos os ensinamentos cristãos e a abordagem da própria figura de Deus.

Defendendo uma profunda renovação da Igreja e das suas estruturas, as ideias de Felicidade Alves desagradaram ao cardeal Cerejeira. Em consequência, foi-lhe por este movido um longo processo que determinou, em 8 de Novembro de 1968, o afastamento das suas funções de pároco em Santa Maria de Belém, e, mais tarde, a suspensão das suas funções sacerdotais, terminando, em 1970, com a sua excomunhão.

Após o afastamento da paróquia de Belém, Felicidade Alves continuou a abordar criticamente questões ligadas à hierarquia católica e à guerra colonial, acabando por ser preso pela PIDE por “actividades contrárias à segurança do Estado”.

Em 10 de Junho de 1994, foi agraciado com a Comenda da Ordem da Liberdade, pelo então Presidente da República Mário Soares.

Faleceu no dia 14 de Dezembro de 1998, com 73 anos.

Fonte 1: Diário de Lisboa n.º 16484, de 08-11-1968, Ano 48º, pp. 1 e 16
Fonte 2: Perspetivas atuais de transformação nas estruturas da Igreja
Fonte 3: Fundação Mário Soares, Nota biográfica de José da Felicidade Alves