Magazine Efemérides

MAGAZINE

Efemérides do dia 16 de dezembro



Dia provável do nascimento de Beethoven
Faleceu a 26 de Março de 1827

A 16 (1) de dezembro de 1770, nasce, em Bona (Alemanha), Ludwig van Beethoven.

Tendo vivido no período de transição entre o Classicismo (século XVIII) e o Romantismo (século XIX), tornou-se, por mérito próprio, um dos compositores mais respeitados e mais influentes de todos os tempos.

A Sinfonia nº 9 em Ré Menor, Op.125 (1822-1824), é, por muitos, considerada a sua obra-prima.

(1) Beethoven foi batizado a 17-12-1770, pelo que se presume que tenha nascido no dia anterior.

Formação do Governo Cunha Leal

A 16 de dezembro de 1921, Francisco Pinto da Cunha Leal forma governo em Portugal.

Fonte: Diário Lisboa n.º 217, de 17-12-1921, 1º ano de publicação, pp. 1, 2 e 8

Em 23 meses, de 21 de Janeiro de 1920 a 16 de dezembro de 1921, Portugal teve 12 governos. O anterior, chefiado por Maia Pinto, havia caído ao fim de 41 dias.

Sobre esta sucessão de governos, o Diário de Lisboa de 15 de dezembro de 1921 escreve em editorial:

«Tudo deixa prever que não ficará ainda hoje solucionada a crise aberta pela queda do ministério Maia Pinto. Os acontecimentos políticos continuam à mercê do acaso, seguindo uma trajectória que não se sabe ainda onde irá ter o seu fim. No meio da confusão que se está esboçando, de que podem resultar horas amargas para a vida da República, há ainda pessoas que não tiveram o patriotismo e o bom senso de pôr de lado as suas paixões políticas, para só pensarem no interesse mais alto – que é o interesse da Pátria. […] Reflexão e bom senso são qualidades indispensáveis a quem dirige povos».

O governo de Cunha Leal durará apenas 53 dias. Seguir-se-á o governo de António Maria da Silva, que conseguiu permanecer durante um período recorde: 646 dias! No total, a Primeira República teve, de 1911 a 1926, 44 chefes de governo.

Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

A 16 de dezembro de 1990, é assinado, em Lisboa, pelos representantes de Portugal, Brasil, Cabo Verde, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe, um acordo ortográfico da língua portuguesa, ficando consignada a sua entrada em vigor até 1 de Janeiro de 1994, «a fim de permitir um período transitório mais amplo de adaptação às novas alterações da ortografia». Fica, ainda, estabelecido que este acordo entrará em vigor após a respectiva ratificação por cada um dos sete países nele intervenientes.

Diário Popular nº 16372, de 17-10-1990, p. 5

Em 2004, Timor-Leste adere a este acordo de uniformização da língua portuguesa. A sua entrada em vigor nos diferentes países signatários tem sido bastante lenta: o Brasil e Portugal já o adotaram. Espera-se que a entrada em vigor nas restantes nações de língua oficial portuguesa constitua, em breve, uma realidade.