Início Busca Magazine

MAGAZINE

O SABER NÃO OCUPA LUGAR
breve apontamento



Onde está o ouro de Portugal?

A Netflix disponibilizou recentemente mais uma temporada da consagrada série espanhola “A Casa de Papel” na qual os protagonistas se envolvem, desta vez, num assalto ao ouro depositado no Banco Central de Espanha.

Esta ficção leva-nos à seguinte pergunta: onde se encontra depositado o ouro de Portugal?

De acordo com as estatísticas referentes a julho de 2019 do World Gold Council, Portugal ocupa a 14.ª posição no ranking dos detentores das maiores reservas de ouro, possuindo 382,5 toneladas deste precioso metal, avaliadas em cerca de doze mil milhões de euros.

Mais de metade deste património encontra-se depositada fora do País: 48,7% estão no Reino Unido e perto de 6,2% nos Estados Unidos. Apenas o restante, cerca de 45.1% permanece nos cofres do Banco de Portugal.

Uma das principais razões que leva muitos países a depositar parte das suas reservas de ouro no estrangeiro prende-se com a sua segurança no caso de ocorrer uma guerra.

Por outro lado, como a maioria dos negócios em ouro é realizada na Bolsa de Mercadorias de Nova York (NYMEX), possuir uma parte das reservas de ouro nos Estados Unidos permite reduzir gastos de transporte, que são muito altos no caso de metais preciosos devido aos seguros serem muito caros.

Atualmente, existe uma tendência de abandono dos depósitos de ouro nos Estados Unidos por parte de nações com elevadas reservas e ainda ao retorno desse metal precioso depositado em outros países estrangeiros aos cofres dos respetivos bancos nacionais.

Exitem outras duas nações da Comunidade de Países de Língua Portuguesa nos primeiros 100 lugares deste ranking do World Gold Council: o Brasil e Moçambique, respetivamente na 43.ª e 88.ª posição.